Saudades

Saudades de você…
Saudades do seu beijo…
Saudades do seu abraço…
Saudades do seu cheiro…
Saudades da sua risada…
Saudades do seu jeito de criança e ao mesmo tempo o jeito de mulher…
Saudades de tudo o que vem de você; do SEU AMOR!.
Sinto saudades ate quando estou com você… Pois sei que logo ira voltar para casa.
Sinto algo mais forte que a saudade: O meu AMOR por você.
Se a saudade me mata, o nosso amor me revive, e cada vez mais forte!
Te Quero pra sempre!
Te Amo

Cada criança ao nascer, nos trás a mensagem de que Deus
não perdeu as esperanças nos homens.

Eu era uma criança, esse monstro que os adultos fabricam com as suas mágoas.

"Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música
não começaria com partituras, notas e pautas.
Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas e lhe contaria
sobre os instrumentos que fazem a música.
Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria
que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas.
Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas
para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes".

PROCURA-SE UM ALGUÉM PARA AMAR

Alguém com um sorriso de criança, mas com um olhar furtivo de uma fera indomável.

Alguém que embriague meus desejos e sobria os meus pensamentos, apenas com um abraço.

Alguém que jamais brigue comigo sem motivo, mas que me chame sempre atenção quando estiver errado.

Alguém que ouça comigo a musica que eu adoro, mas que não seja hipócrita pra dizer que gostou só pra me agradar.

Alguém que ria das minhas bobagens e nunca me deixe com cara de idiota na frente dos seus amigos.

Alguém incapaz de fazer mal a uma mosca, mas extremamente capaz de enfrentar o mundo por minha causa.

Alguém que me ache bonito, interessante, mesmo com a velha farda do trabalho. E que, ainda assim, tenha orgulho de apresentar para as suas amigas como o seu homem.

Alguém para que possa oferecer poemas de amor, músicas românticas e que valoriza isso como uma incontestável prova de carinho e reciprocidade.

Alguém que goste de chocolate, sorvete, cinema e poesia.

Alguém que goste de Jorge Ben Jor, Fagner ou Djavan, mas que também saiba esbaldar-se numa noite louca, dançando a Dança do Creu na última velocidade…

Alguém que seja a minha amiga, amante e confidente.

Alguém com um jeitinho de menina, inocência de uma criança, mas atitude e relevância de uma mulher…

Enfim, alguém que tenha personalidade própria a ponto de não se submeter a qualquer relacionamento, mas que saiba respeitar, envolver-se e compartilhar com a pessoa que estar ao seu lado, aprendendo e ensinando a cada dia.

Aquele que sabe muito e que não é capaz de conter a língua é como uma criança armada com uma faca.

Como uma criança ela quer alcançar as estrelas e levar a lua de brinde, quer reinar no sol e rolar nas nuvens .

Três Lindos Casos de Chico Xavier

TENHA PACIÊNCIA, MEU FILHO

Quando Dona Maria João do Deus desencarnou, em 29 de setembro do 1915, Chico Xavier, um de seus nove filhos, foi entregue aos cuidados de Dona Rita do Cássia, velha amiga e madrinha da criança.

Dona Rita, porém, era obsidiada e, por qualquer bagatela, se destemperava, irritadiça.

Assim é que o Chico passou a suportar, por dia, várias surras de vara de marmeleiro, recebendo, ainda, a penetração de pontas de garfos no ventre, porque a neurastênica e perversa senhora inventara êsse estranho processo do torturar.

O garôto chorava muito, permanecendo, horas e horas, com os garfos dependurados na carne sanguinolenta e corria para o quintal, a fim de desabafar-se, porque a madrinha repetia, nervosa:

- Êste menino tem a diabo no corpo.

Um dia, lembrou-se a criança de que sua Mãezinha orava sempre, todos os dias, ensinando-o a elevar o pensamento a Jesus e sentiu falta da prece que não encontrava em seu nôvo lar.

Ajoelhou-se sob velhas bananeiras e pronunciou as palavras do Pai Nosso que aprendera dos lábios maternais.

Quando terminou, oh! maravilha!

Sua progenitora, Dona Maria João de Deus, estava perfeitamente viva ao seu lado.

Chico, que ainda não lidara con as negações e dúvidas dos homens, nem por um instante pensou que a Mãezinha tivesse partido para as sombras da morte.

Abraçou-a, feliz; e gritou:

- Mamãe, não me deixe aqui… Carregue-me com a senhora…

- Não posso, – disse a entidade, triste.

- Estou apanhando muito, mamãe!

Dona Maria acariciou-o e explicou:

- Tenha paciência, meu filho. Você precisa crescer mais forte para o trabalho. E quem não sofre não aprende a lutar.

- Mas, – tornou a criança – minha madrinha diz que eu estou com o diabo no corpo…

- Que tem isso? Não se incomode. Tudo passa e se você não mais reclamar, se você tiver paciência, Jesus ajudará para que estejamos sempre juntos.

Em seguida, desapareceu.

O pequeno, aflito, chamou-a em vão.

Desde desse dia, no entanto, passou a receber o contacto de varas e garfos sem revolta e sem lágrimas.

- Chico é tão cínico – dizia Dona Rita, exasperada, que não chora, nem mesmo a pescoção.

Porque a criança explicasse ter a alegria de ver sua mãe, sempre que recebia as surras, sem chorar, o pessoal doméstico passou a dizer que ele era um "menino aluado".

E, diariamente, à tarde, com os vergões na pele e com o sangue a correr-lhe em pequeninos filêtes do ventre o pequeno seguia, de olhos enxutos e brilhantes, para o quintal!, a fim de reencontrar a mãezinha querida, sob as velha árvores, vendo-a e ouvindo-a, depois da oração. <br

Há momentos que faltam palavras

Ainda me lembro daquela tarde,
não era vaga como estas lembranças,
O sol era forte, e arde
E nos lábios poderia sentir uma fala de pobres esperanças.

Ainda me lembro daquela noite,
Andar sem rumo em busca de ouvir apenas uma frase boa,
E que sempre um abraço era um conforto forte,
pAra uma pessoa que está a caminhar pelos cantos da rua.

Ainda me lembro de tal instante,
Que correr pelos cantos da casa,
Tornava-me uma criança distante
Com esta pequena asa.

Ainda me lembro que momentos são guardados como fotografias,
E sem o uso de atos. foram expressas no geral,
Pois no dialógo de uma vida toda, faltaram palavras,
Para que completasse o sentimento final.

Ainda me lembro das cartas que me escrevia,
guardar em uma gaveta, era fácil demais,
Eu poderia tê-las em minha memória e, sempre temia
Que com o entulho delas, ainda farias barcos de papel, mais e mais…

Uma folha que cai
desarruma o universo.
O respiro de uma ave
afeta o clima da Terra.
O balançar de uma teia
e aranha afeta a galáxia.
Uma criança que nasce
muda o destino do mundo.
Cada gesto de amor
salva toda a humanidade.

Acredite

Acredite nas pessoas… Naquelas que possuem algo mais… Aquelas que, às vezes, a gente confunde com anjos e outras divindades… Digo daquelas pessoas que existem em nossas vidas e enchem nosso espaço com pequenas alegrias e grandes atitudes… Falo daquelas que te olham nos olhos quando precisam ser verdadeiras, tecendo elogios, que pedem desculpas com a simplicidade de uma criança…

Pessoas firmes… Verdadeiras, transparentes, amigas, ingênuas… Que com um sorriso, um beijos, um abraço, uma palavra de faz feliz… Aquelas que erram… Acertam… Não tem vergonha de dizer não sei… aquelas que sonham… Aquelas amigas… Aquelas que passam pela vida deixando sua marca, saudades, aquelas que fazem à diferença… Aquelas que vivem intensamente um grande amor…

Sonhos de verão

Sonhos de amor e de paixão.
Sem culpa, sem perdão, além do sim e do não.
Sonhos de esperança.
Sonhos de criança.
Mundo colorido, carrossel.
Sonhos dos sonhos.
Vidas que se cruzam.
Amizade, carinho e satisfação.
Sonhos de verão.

Quem deixou de fazer o que tinha vontade Perdeu! Ficou na Saudade.
Quem deixou de sorrir, com vergonha de tudo Envelheceu! Ficou mudo.
Quem deixou de viver por falta de coragem Morreu. Viveu de passagem.
Quem deixou escapar o sonho de infância É tarde!
Não dá para buscar. Já se foi seu destino Não é mais uma criança.
Prefira se arrepender de ter feito errado! Jamais por não ter tentado!

esta palavra saudade
conheço desde criança
saudade de amor ausente
não é saudade, é lembrança
saudade só é saudade
quando morre a esperança

esta palavra saudade
conheço desde criança
saudade de amor ausente
não é saudade, é lembrança
saudade só é saudade
quando morre a esperança

Meus brinquedos

De repente
Ao lembrar dos brinquedos queridos
Que ficaram esquecidos
Dentro do armário
Me bate uma saudade
Me bate uma vontade
De voltar no tempo
De voltar ao passado
Mas nada acontece
Nada parece acontecer
E eu choro
Choro como o bebê que fui
E a criança que quero voltar a ser
Não quero crescer!

Ficar de novo pequenina

Olhando as crianças brincando
Comecei a pensar
Talvez quando eu era criança
Adulta eu queria ficar…

E mil lembranças
Voltam em minha mente
De quando eu era pequenina
Uma criança somente…..

Muitas recordações…
Dias felizes….as emoções
E ate das tristezas
Que um dia tive….

Sera mesmo que aproveitei?
Sera que eu valorizei?
A grandeza……a alegria..
Aquela vivencia em plena "folia"?

Sera que o adulto eu analisei?
Sera que eu acreditei?
Que tudo seria melhor quando eu crescesse?
E adulta eu fiquei!!!!!

E hoje quero confessar
Que a infância me fascina…
E que eu daria tudo….
Pra ficar de novo pequenina!

Sou uma mulher madura
Que às vezes anda de balanço
Sou uma criança insegura
Que às vezes usa salto alto
Sou uma mulher que balança
Sou uma criança que atura

A religião é o suspiro da criança acabrunhada, o coração de um mundo sem coração, assim como também o espírito de uma época sem espírito. Ela é o ópio do povo.

Estar com você
é mergulhar no infinito,
voar até o céu
e tocar nas nuvens e estrelas.

Estar com você
é voltar no tempo
e me sentir uma criança
no colo da mãe.

Estar com você
é viajar até o paraíso
acompanhado por anjos
e querubins.

Estar com você
é sentir-se como
um marinheiro em alto mar,
um passarinho a voar.
Por isso
como um marinheiro
quer o mar
como um passarinho
quer voar
quero você pra mim.
feliz assim….

    Curta-nos no Face!

Recomendamos
Contato:


Sugestões, reclamações ou elogios podem ser feitos pelo email, contato@imotion.com.br ou participe da nossa comunidade no orkut!
Comunidade Portal Imotion